domingo, 3 de fevereiro de 2008

Nós somos o divertimento deles

“Nós somos o divertimento deles”, estas foram as palavras proferidas pelo jovem Bernardo que vive em Rio Mouro, Sintra, “tenho amigos esfaqueados várias vezes e a mim encostam-me as facas ao pescoço”. Um dos jovens diz ser “rara a noite em que não se ouve tiros” e lança uma pergunta ás outras etnias, “Se fazemos aqui tudo para que se integrem, por que é que nos assaltam?”.
As políticas de imigração e segurança tem de mudar, não podemos continuar a fechar os olhos a um problema que é de todos.